Quando partiste



(Foto desconhecida - retirada em http://www.striperonline.com/pictures/reports_2003/full_moon_9_10_03.jpg)


Quando partiste foram contigo os meus desejos
quando partiste foram contigo os meus abraços
vivo agora a mendigar teus falsos beijos
ouvindo os risos que tu dás aos meus fracassos
quando partiste nunca supus que à despedida
ia contigo naufragar a minha vida

Não te posso censurar sei bem
podes dar a quem quiseres teu calor
mas se um dia tu ouvires alguém
louco por ti chamar amor
Sou eu sou eu sou eu 
que nunca te esqueci
e sei amor meu bem
que te perdi

Quando partiste julguei vencer o desespero
quando partiste julguei vencer a solidão
menti menti para não contar o que te quero
mas já sem forças o meu pobre coração
pus me a chorar
pus me a gritar que na verdade 
é tão cruel a voz amarga da saudade

Não te posso censurar sei bem
podes dar a quem quiseres calor
mas se um dia tu ouvires alguém
louco por ti chamar amor

 Sou eu sou eu sou eu 
que nunca te esqueci
e sei amor meu bem
que te perdi


Paco Gonzales

Comentários

Angelina Sá disse…
gosto do seu blog vou passando um beijo de portugal.

Mensagens populares deste blogue

há uma musica do povo

Lume

Água louca da Ribeira