segunda-feira, setembro 27, 2004

primavera


(david mourão-ferreira)
Todo o amor que nos prendera
Como se fora de cera
Se quebrava e desfazia
Ai funesta primavera
Quem me dera, quem nos dera
Ter morrido nesse dia

E condenaram-me a tanto
Viver comigo meu pranto
Viver, viver e sem ti
Vivendo sem no entanto
Eu me esquecer desse encanto
Que nesse dia perdi

Pão duro da solidão
É somente o que nos dão
O que nos dão a comer
Que importa que o coração
Diga que sim ou que não
Se continua a viver

Todo o amor que nos prendera
Se quebrara e desfizera
Em pavor se convertia
Ninguém fale em primavera
Quem me dera, quem nos dera
Ter morrido nesse dia
david mourão-ferreira

2 Comments:

Blogger Maria Branco said...

A dor da ausência, da solidão, de um amor que se vive só, tão bem descrito nas palavras do David Mourãoi-Ferreira! É sem duvida magnifico! Muitos beijinhos, tem uma boa noite...

9:28 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Lindo poema.. sempre escolhes muito bem, quero ler mais ;););)... Beso* / Lina

12:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home