quinta-feira, outubro 28, 2004

maria II


(pintura de graça morais "maria")

Nova luz, que me rasga dentro d'alma,
Dum desejo melhor me veste a vida...
Outra fada celeste agora leva
Minha débil ventura adormecida.

Não sei que novos horizontes vejo...
Que pura e grande luz inunda a esfera...
Quem, nuvens deste inverno, nesse espaço,
Em flores vos mudou de primavera?!

Se as noites nos enviam mais segredos,
Ao sacudir seus vaporosos mantos,
Se desprendem do seio mais suspiros...
É que dizem teu nome nos seus cantos.

Nem eu sei se houve amor até este dia...
Nem eu sei se dormi até esta hora...
Mas, quando me roçou o teu vestido,
Abri o meu olhar - acordo agora!

antero de quental

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Isto, cantado pelo Camané, é uma delícia...O Camané é um milagre nas vozes do Fado em Portugal!:)

6:00 da manhã  
Blogger Solidão said...

Parabéns pelo blog.
Saudade do emigrante

Saudade uma palavras que tem um sentido tão sofrido
Temos saudades de uma amigo
Um animal de estimação
E de nossa terra natal
E era esse sentimento que eu via nos olhos
De um homem
Quando ouvia um fado a tocar
Seu olhar se tornava distante e buscava
Nos céus ajuda...
Pois seguia com seu olhar
O voar de um bando de pássaros
Que rumavam em direção do mar.
Muitas vezes ele os seguia e lá
Na beira mar deixava sua lágrima correr
Esse sentimento se chama saudade
E com certeza era a mesma que os marinheiros devem ter sentido
: ao se aventurarem por mares estranhos
: em busca de novos sonhos
: novos horizontes
e que belos sonhos eles devem ter tido
apesar da dor de ter que se afastarem de suas famílias
de suas amadas
: enfim de seu amado país
por isso traziam em suas bagagens o fado como companheiro
: pois sempre que olhavam para o alto e viam uma gaivota ou uma andorinha a voar
: deixavam seus pensamentos serem carregados em suas asas
e assim se sentiam chegar até suas amadas
: Marinheiro tu que fostes tão sofrido
deverias ser também o mais amado
: pois conseguiste trazer até mim essa minha paixão
: o fado. esse poema que tanto a minha alma fala
pois sempre conta a historia de um amor
: de uma saudade
: de uma dor
: dos amantes separados
Tudo que é poesia pode-se dizer....
: Tudo isso é fado
Jaira 26/04/2007

6:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home